Cientistas revelam origem de polvos de grandes profundidades oceânicas

Toronto (Canadá), 9 nov (EFE) - A origem de muitos dos polvos que existem nas grandes profundidades do oceano se situa em uma espécie que viveu na Antártica há 30 milhões de anos, disseram hoje cientistas que trabalham no primeiro Censo da Vida Marinha (CoML, em inglês). A menos de dois anos para a finalização do primeiro CoML da história, os cientistas que participam do projeto divulgaram hoje algumas das principais descobertas feitas até o momento. O CoML é um projeto no qual trabalham dois mil cientistas de 82 países de todo o mundo e que, em outubro de 2010, publicará a primeira lista de espécies marinhas conhecidas, tanto das existentes atualmente quanto das já extintas. Os cientistas estimam que já existiram entre 230 mil e 250 mil espécies marinhas e cada uma delas terá uma página na internet na Enciclopédia da Vida que está sendo desenvolvida de forma paralela. Os pesquisadores estimam que, além das 16 mil espécies de peixes conhecidas hoje em dia, existem ainda outras quatro mil. O relatório divulgado hoje informa que os cientistas do CoML estão realizando um número de descobertas sem precedentes. Além disso, durante a Conferência Mundial em Biodiversidade Marinha organizada pelo programa europeu filiado ao CoML e que será realizado na cidade espanhola de Valência de 11 a 15 de novembro, os cientistas anunciarão novas descobertas que serão somadas ao relatório. Uma das novas descobertas detalhadas no documento é a pesquisa sobre a orig...

EFE |

EFE jcr/ab/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG