Cientistas da Universidade Autônoma do México afirmam que descobriram um método para produzir diamantes sintéticos usando a tequila, a bebida mais famosa do México. A descoberta dos físicos mexicanos poderá ter usos na indústria, mas os diamantes artificiais produzidos a partir da bebida são pequenos demais para serem usados como jóias.

Miguel Apatica, chefe da equipe científica responsável pela descoberta, explicou à BBC que a equipe aumentou a temperatura da bebida para obter os diamantes.

"Primeiro nós transformamos a tequila líquida em vapor, usando muito calor. As moléculas de gás então são quebradas em partículas minúsculas. Então, aumentamos ainda mais o calor, para cerca de 800 graus Celsius", afirmou.

"O resultado final é que conseguimos átomos de carbono que então são depositados na forma de uma película de diamante muito fina", afirmou.

Microscópio
Os cristais de diamante sintético podem ser vistos apenas com a ajuda de um microscópio de elétrons.

Apesar de não poderem ser usados para fabricação de jóias, existem várias aplicações práticas para os diamantes artificiais.

Eles podem ser usados como uma alternativa ao silício em computadores ou como instrumentos de corte ultrafinos, em procedimentos médicos.

Uma vantagem da fabricação da película de diamante a partir da tequila é que o produto fica muito barato.

Os cientistas descobriram que mesmo as marcas mais baratas da bebida, com custo médio de US$ 3 por garrafa, podem ser usadas na fabricação de diamantes sintéticos.

O México produz centenas de milhões de litros de tequila todos os anos. As vendas anuais apenas para os Estados Unidos giram em torno de US$ 500 milhões.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.