Cientistas identificam substância que pode inibir metástase

Washington, 22 jun (EFE).- Oncologistas americanos isolaram um potente inibidor da metástase que poderia possibilitar a criação de novos tratamentos contra o câncer, informou hoje a revista Proceedings of the National Academy of Sciences.

EFE |

A metástase, que é a invasão das células cancerígenas a outras partes do corpo, é uma das principais causas da morte por câncer.

Até agora, não há um tratamento contra o processo.

Segundo o oncologista Randolph Watnick, professor do Programa de Biologia Vascular do Hospital Pediátrico de Boston, Massachusetts, na metástase os tumores preparam essa invasão através da secreção de proteínas que estimulam o crescimento do tumor e atraem os vasos capilares, por meio do qual se alimentam.

Já os tumores benignos eliminam uma substância chamada prosaposina, que inibe o crescimento ao produzir fatores que impedem o desenvolvimento dos vasos capilares.

Em sua pesquisa, os cientistas descobriram que os tumores de próstata e mama que não se estenderam a outros setores do corpo secretaram altos níveis de prosaposina.

Quando os cientistas injetaram em ratos de laboratório células tumorais altamente invasivas, às quais adicionaram prosaposina, a metástase pulmonar diminuiu em 80%, a linfática foi totalmente eliminada e se aumentou considerável a sobrevivência dos roedores em cerca de 30%, segundo o relatório.

Ao fazer o procedimento inverso, os pesquisadores descobriram que, ao eliminar a prosaposina nas células tumorais, a metástase aumentou consideravelmente.

Segundo Watnik, a identificação da substância pode ter grande importância na luta contra o câncer.

Ele afirma que seria útil no tratamento do tumor original e, depois, nos esforços para impedir a metástase ou frear o crescimento tumoral. EFE ojl/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG