Cientistas identificam gene que causa amputação em diabéticos

Cientistas identificaram um gene que seria o responsável pelos riscos de amputação de membros entre diabéticos - uma descoberta que pode ajudar a reduzir esse risco. A diabetes pode restringir a circulação do sangue nos tecidos e reduzir a habilidade de cicatrização de feridas já que o corpo perde a capacidade de formar novas veias sangüíneas para agilizar o processo de cura.

BBC Brasil |

Esse processo deixa alguns membros, como as pernas e os pés, vulneráveis à formação de úlceras e gangrenas.

Pesquisadores da Universidade de Bristol descobriram que a diabetes induz células saudáveis de veias sangüíneas a produzir um gene receptor de proteína chamado p75NTR.

Esse gene, ausente em células saudáveis, impede a produção das novas veias necessárias para o processo de cicatrização dos membros.

A inibição da ação desse gene nas células pode ajudar a reduzir a ocorrência de amputações entre os diabéticos, sugere o estudo realizado por cientistas britânicos e publicado na revista científica Circulation Research.

Pesquisa
Para confirmar a ação do gene nas células, os cientistas injetaram o p75NTR em células de veias sangüíneas saudáveis de ratos e observaram que elas se tornaram inválidas.

Além disso, ao injetar a proteína em um músculo saudável e restringir a circulação sangüínea nas veias desse músculo, os cientistas observaram que a presença do p75NTR causou uma falta de habilidade de cicatrização idêntica à provocada pela diabetes.

Finalmente, os pesquisadores inibiram a ação do p75NTR em ratos diabéticos antes de restringir a circulação em um dos membros dos animais. A inibição fez com que o membro superasse a restrição do fluxo sangüíneo.

Segundo o estudo, a presença do gene parece suprimir os mecanismos necessários para formação de novas veias sangüíneas.

"Nossa descoberta demonstra a importância de entender os fatores individuais responsáveis por algumas complicações causadas pela diabetes", disse Costanza Emanueli, que liderou o estudo.

De acordo com ela, a descoberta da ação do gene p75NTR pode abrir novos caminhos para combater as doenças vasculares nos diabéticos.

Tratamento
Para o professor Peter Weissberg, da British Heart Foundation, organização que trabalha para combater doenças cardíacas e uma das patrocinadoras do estudo, os resultados da pesquisa são muito significativos.

"Essa descoberta vital pode abrir caminho para o desenvolvimento de um medicamento que possa destruir a molécula, ou os seus efeitos", afirmou.

"Um tratamento como esse pode ter benefícios enormes em uma das complicações mais devastadoras e que ameaça a vida dos diabéticos", disse Weissberg.

Já Iain Frame, da ONG Diabetes UK, alertou para as conclusões tiradas de experimentos feitos em animais.

No entanto, ele afirmou que, caso a pesquisa seja provada em humanos, "um tratamento pode ser desenvolvido para remover o p75NTR, o que poderia beneficiar muitos pacientes diabéticos".

Uma pessoa que sofre de diabetes é 15 vezes mais suscetível a ter que amputar um dos membros inferiores do que aquelas que não possuem a doença.

Dados indicam que cerca de sete em cada 10 pessoas que sofrem uma amputação morrem dentro de cinco anos como resultado de complicações de suas condições.

No Reino Unido, cerca de 100 pessoas por semana têm um membro amputado por causa da diabetes.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG