Cientistas identificam enzima responsável pelo alastramento do câncer

Cientistas britânicos afirmam ter descoberto a enzima responsável pelo alastramento das células cancerígenas, um processo conhecido como metástase. Em um estudo publicado na revista científica Cancer Cell, os pesquisadores afirmam que a enzima chamada LOX é crucial na evolução da metástase, que ocorre quando o câncer se espalha para outras partes do corpo.

BBC Brasil |

Em muitos casos de câncer, não é o tumor inicial que mata - o perigo está nas células que viajam para outras partes do corpo - um processo responsável por 90% das mortes relacionadas à doença.

O estudo indica que a LOX atua enviando sinais para preparar a área do corpo que será atingida pelas células cancerígenas. Segundo os cientistas, sem este processo de preparação, o ambiente pode ser muito hostil para possibilitar o crescimento do câncer.

Os pesquisadores do Instituto de Pesquisas do Câncer analisaram o processo em camundongos, mas estão confiantes de que as descobertas poderão ser aplicadas em humanos com diversos tipos de câncer.

De acordo com Janine Erler, responsável pelo estudo, a descoberta é "a peça chave que estava faltando do quebra-cabeças".

Erler afirma que se trata da primeira vez que uma enzima é identificada como responsável pelo alastramento da doença e a descoberta pode ajudar no tratamento do câncer.

"Se conseguirmos interromper a habilidade do corpo em preparar novas áreas para a chegada das células cancerígenas, podemos prevenir a metástase com eficácia", disse ela.

"É bastante difícil tratar a metástase do câncer e a nova descoberta oferece uma esperança real para o desenvolvimento de uma droga que possa combater a propagação da doença", afirmou.

Para Julie Sharp, diretora de informação da ONG britânica Cancer Research, que fomenta a pesquisa sobre a doença, a melhor compreensão sobre o processo de alastramento do câncer é crucial para aprimorar o tratamento contra doença.

"Essa pesquisa aproxima os cientistas do entendimento deste problema enorme. O próximo passo será descobrir como a enzima LOX pode ser desativada para impedir o alastramento da doença", disse Sharp.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG