Barcelona, 3 abr (EFE).- Uma equipe de pesquisadores internacionais identificou o processo pelo qual as células de câncer de mama se reproduzem e se espalham ao pulmão, desvirtuando um hormônio cuja função básica é especificamente bloquear a divisão celular.

O trabalho, publicado hoje na revista científica "Cell", foi dirigido pelo cientista espanhol Joan Massagué a partir do Memorial Sloan-Kettering Cancer Center de Nova York, em colaboração com Roger Gomis, do Instituto de Pesquisa Biomédica de Barcelona (IRB), e Cristina Nadal, do Hospital Clinic de Barcelona.

Eles descobriram como as células do câncer de mama utilizam um determinado tipo de molécula, denominada TGF beta, para promover metástases, ou seja, a expansão de células cancerosas pelo organismo, processo que causa aproximadamente 90% das mortes pela doença.

Segundo Gomis, a proteína TGF beta está presente em todo o organismo e tem a função de controlar e suprimir o desenvolvimento celular, evitando assim, por exemplo, que as células continuem se reproduzindo quando um ferimento já está cicatrizado.

O estudo revelou, no entanto, que as células cancerosas são capazes de "distorcer" e aproveitar as funções desta molécula sinalizadora - citocina - em benefício próprio e colocá-las para trabalhar em favor do tumor, em vez de eliminá-lo, desenvolvendo, assim, a metástase.

Os pesquisadores observaram ainda que a molécula TGF beta faz com que as células cancerosas produzam uma segunda citocina, chamada angiopoietina-L4, que melhora a habilidade do tumor para escapar para os pulmões através das vias sanguíneas, mediante a abertura dos capilares pulmonares, que possibilita o acesso ao tecido.

"Nosso estudo demonstra que a TGF beta realça a capacidade de metástase dos cânceres de mama em humanos e revela como as células cancerosas aprendem a tirar proveito das citocinas, que acabam trabalhando para garantir a propagação do câncer de mama", indica Massagué.

O trabalho dos cientistas se centra agora em determinar se as citocinas TGF beta e angiopoietina atuam da mesma forma em outros tipos de cânceres diferentes, mas também em buscar a maneira de interceptar a ação destas moléculas para prevenir metástases em pacientes que sofram da doença.

São muitos os tumores primários que se expandem ao pulmão, como o de cólon, o de fígado ou o melanoma. Por isso, existe um grande interesse na indústria farmacêutica em desenvolver um medicamento que iniba a ação "distorcedora" dos hormônios TGF beta.

"Queremos saber se outros tipos de tumor utilizam a mesma via ou mecanismos diferentes para promover metástases", ressaltou Gomis.

EFE gb/db

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.