Cientistas estabelecem comunicação com pacientes vegetativos

Redação Internacional, 4 fev (EFE).- Poucos pacientes em estado vegetativo ou com o mínimo de consciência têm atividade cerebral intencional, segundo cientistas que conseguiram se comunicar com eles por meio de método inovador de ressonância magnética funcional que mede a resposta do cérebro em tempo real.

EFE |

Realizado no Reino Unido e na Bélgica, o estudo foi publicado no "New England Journal of Medicine" e pode ser utilizado tanto nos cuidados e na reabilitação dos pacientes quanto para a adoção de decisões éticas.

Os cientistas do centro Wolfson de técnicas de imagem de Cambridge (Reino Unido) e da universidade de Liège (Bélgica) estudaram 54 pacientes com graves danos cerebrais, dos quais 23 estavam em estado vegetativo, ou seja, acordados sem responder a estímulos, e 31 com um mínimo de consciência (respostas verbais e motoras inconsistentes e desiguais).

Segundo os pesquisadores, é difícil distinguir os comportamentos reflexivos dos voluntários nestes pacientes, por isso que seu estado de consciência costuma interferir na sua resposta motora, o que explica o elevado percentual de erros nos diagnóstico, de aproximadamente 40%.

Os autores do estudo submeteram os 54 pacientes a uma ressonância magnética funcional enquanto pediam que os mesmos se imaginassem jogando tênis ou que visualizassem algum lugar familiar.

Em cinco dos pacientes com traumatismo crânio-encefálico os cientistas observaram uma ativação das regiões do cérebro envolvidas nas respostas motoras e espaciais.

Um deles, que estava em estado vegetativo, conseguiu responder mentalmente, utilizando duas imagens motoras e espaciais de afirmação e negação, e cinco dos seis responderam as perguntas corretamente.

Conforme os autores, os resultados da pesquisa demonstram que são necessários exames clínicos exaustivos para reduzir os erros no diagnóstico destes pacientes. EFE ik/dm

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG