Cientistas esperam dados sobre gelo encontrado em Marte

Washington, 20 jun (EFE) - A sonda Phoenix encontrou gelo na superfície da região ártica de Marte e, nas próximas semanas, os cientistas conhecerão sua composição química e saberão se há plantas de material orgânico, anunciou hoje a Nasa, a agência espacial americana. É muito emocionante que tenhamos encontrado gelo debaixo do lugar onde desceu a cápsula Phoenix, afirmou em entrevista coletiva Peter Smith, da Universidade do Arizona, que dirige o aspecto científico da missão. Temos certeza de que encontramos uma superfície com gelo, acrescentou. A Phoenix pousou, sem colchões de amortecimento, em uma região de alta latitude de Marte no dia 25 de maio.

EFE |

A pá escavadeira da nave abriu um pequeno buraco no qual, segundo as fotografias tiradas pela câmera da sonda quatro dias atrás, era possível ver um material branco e brilhante.

A equipe de cientistas da "Phoenix" passou o dia todo de quinta-feira analisando os dados mais recentes e as novas imagens e descobriu que algumas porções do material branco, do tamanho de dados, tinham desaparecido.

Os cientistas da universidade e da Nasa descartaram a possibilidade de que se trate de dióxido de carbono líquido ou de sal na superfície do planeta, que orbita cerca de 230 milhões de quilômetros da Terra.

A próxima tarefa é coletar uma amostra do material branco, o qual necessitaria que a pá escavadeira voltasse a arranhar o solo marciano. O exemplar recolhido será levado, em um movimento de 30 minutos, até um pequeno forno na ponte da "Phoenix".

Os cientistas deverão esperar "poucas semanas" antes que os instrumentos do laboratório na sonda mostrem a composição química do gelo marciano e revelem o mistério que fascinou a humanidade: a presença ou ausência de material orgânico em outro planeta.

A missão da "Phoenix" tem o objetivo de investigar se as planícies árticas de Marte podem ter abrigado formas microscópicas de vida. A água é um ingrediente essencial para a vida.

Os cientistas souberam durante muito tempo que há abundante gelo de água nos cascos polares de Marte, e há indícios fortes da existência desse debaixo da superfície longe dos pólos, segundo as observações por satélite.

A descoberta da "Phoenix" é a primeira prova firme de que esse gelo se encontra sob a superfície longe dos cascos polares.

Os cientistas deram às diferentes tarefas da "Phoenix" os nomes de personagens de contos infantis.

Smith explicou que essa escolha responde ao objetivo da Nasa de atrair e manter o interesse de meninos e meninas na exploração espacial.

Na quinta-feira, na fundação chamada "Branca de Neve 2" o braço robótico fez outra descoberta promissora: a pá se deparou com uma superfície dura, que também poderia ser gelo, explicou Ray Arvidson, da Universidade Washington em St. Louis, um dos cientistas a cargo do programa.

"Escavamos uma fundação e descobrimos uma camada dura na mesma profundeza que a camada de gelo na outra fundação", acrescentou.

Antes da descoberta, a "Phoenix" teve alguns inconvenientes, incluindo a perda de memória recente do computador da sonda e uma obstrução em um dos fornos.

As descobertas fizeram com que a Nasa e os cientistas considerem já bem-sucedida a missão da "Phoenix" e merecedora de uma extensão de um mês em sua tarefa prevista para 90 dias. EFE jabdb

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG