Cientistas encontram evidências de canibalismo em massa

Arqueólogos encontraram evidências de canibalismo em massa em um cemitério humano que data de sete mil anos atrás, no sudoeste da Alemanha, segundo a revista especializada Antiquity. Os autores da pesquisa dizem que suas descobertas trazem indicações raras da prática de canibalismo na Europa no início do período Neolítico.

BBC Brasil |

Cerca de 500 restos mortais que foram encontrados perto da vila de Herxheim podem pertencer a vítimas de canibalismo.

Os restos, que teriam sido "mutilados intencionalmente", incluem crianças e até fetos, segundo os pesquisadores.

O local foi escavado pela primeira vez em 1996, e explorado novamente entre 2005 e 2008.

O coordenador da pesquisa, Bruno Boulestin, da Universidade de Bourdeaux, na França, disse à BBC que ele e seus colegas encontraram evidências de que ossos humanos foram cortados e quebrados de propósito, uma indicação de canibalismo.

"Nós observamos padrões nos ossos de animais indicando que eles foram assados em um espeto", disse. "Nós vimos padrões iguais em ossos humanos (no local)." Mas Boulestin reforçou que é difícil provar que esses ossos foram deliberadamente cozidos.

Alguns cientistas rejeitam a teoria do canibalismo, dizendo que a remoção da carne poderia ser parte de rituais de enterro.

Mas Boulestin disse que os restos humanos encontrados na Alemanha foram "intencionalmente mutilados" e que há evidências de que muitos deles foram mastigados.

O início do período Neolítico foi quando a agricultura começou a se espalhar pela Europa central e a equipe acredita que o canibalismo no continente era uma ocorrência rara, provavelmente apenas durante períodos de fome extrema.

Leia mais sobre: Alemanha

    Leia tudo sobre: alemanhacanibalismo

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG