Cientistas descobrem nova maneira de reduzir dores causadas por câncer

Redação Internacional, 25 jun (EFE).- Pesquisadores da Universidade de Heidelberg, no sul da Alemanha, descobriram a possível origem de fortes dores provocadas por cânceres.

EFE |

Os tumores liberam duas moléculas que deixam as células nervosas especialmente sensíveis e potencializam o crescimento do tumor, segundo um artigo publicado no site "Nature Medicine".

Os resultados da pesquisa, dirigida pela doutora Rohini Kuner, do Instituto Farmacológico da Universidade de Heidelberg, dão início a um novo enfoque no desenvolvimento de remédios para os pacientes de câncer.

A dor muito forte causada pelo câncer, cujas causas ainda são desconhecidas, é difícil de ser atenuada com remédios tradicionais como os opiáceos, que requerem altas doses, o que cria tolerância e efeitos colaterais.

Os cientistas examinaram tecidos de ratos e determinaram as substâncias dos tumores: duas moléculas que, até agora, eram conhecidas como fatores de crescimento para as células-tronco que formam o sangue.

O contato com essas moléculas faz com que as células nervosas próximas ao tecido canceroso sejam "consideravelmente mais sensíveis à pressão", o que coincide com as descrições dos doentes que diziam que um simples toque na região afetada doía muito.

Além disso, o crescimento do tumor também provoca dor, pois o tecido se expande e produz pressão.

Os pesquisadores injetaram anticorpos nos tecidos dos ratos para bloquear as áreas de contato entre essas moléculas e as células nervosas, o que reduziu tanto o crescimento do tumor, quanto a sensibilidade das células.

Agora será necessário fazer novas pesquisas para ver se o uso também é possível em tecidos humanos e, caso o resultado seja positivo "seria concebível injetar essas 'proteínas bloqueadoras' diretamente no tumor e reduzir a dor e os efeitos colaterais". EFE cr/pd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG