Cientistas descobrem gene ligado à esquizofrenia

Mutações genéticas podem predispor algumas pessoas à esquizofrenia, concluem pesquisadores canadenses em um estudo publicado nesta segunda-feira nos Estados Unidos nas atas da Academia Nacional de Ciências.

AFP |

Os resultados deste estudo mostram que mutações do gene SHANK3 estão presentes em alguns pacientes esquizofrênicos, segundo um grupo de estudo da Universidade de Montreal.

A esquizofrenia é uma doença psiquiátrica que afeta aproximadamente 1% da população mundial. Ela se manifesta em episódios agudos de psicose e pode incluir alucinações e delírios, com diversos sintomas crônicos que causam problemas afetivos, intelectuais e psicomotores. É considerada 70% hereditária.

"Não esperávamos descobrir essas mutações novas em pacientes esquizofrênicos, o que poderia explicar por que até agora foi tão difícil identificar os genes ligado a esta doença", afirmou o principal autor do estudo, Guy Rouleau, professor da Universidade de Montreal.

"Nossos resultados mostram que uma quantidade grande de casos de esquizofrenia é gerada por novas mutações genéticas no gene SHANK3", acrescentou Rouleau, também diretor do Centro de Pesquisas do hospital para crianças Sainte-Justine de Montreal.

"As técnicas usadas anteriormente haviam fracassado e devemos esta descoberta às análises detalhadas que realizamos e à riqueza de nossa base de dados sobre os pacientes", explicou o professor Rouleau.

"Estamos convencidos de que os próximos estudos confirmarão o gene SHANK3 como marcador da esquizofrenia", assegurou.

Leia mais sobre: Esquizofrenia

    Leia tudo sobre: esquizofrenia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG