Cientistas descobrem crista e listras em dinossauro chinês

Um novo estudo, publicado na última quinta-feira (4) na edição online da revista Science, revelou as cores de mais um dinossauro, o Anchiornis huxleyi um bípede chinês de 110 gramas que viveu há 150 milhões de anos.

iG São Paulo |

Através da análise dos melanossomas, estruturas celulares responsáveis pela cor, a equipe, com pesquisadores da Universidade de Yale e da Universidade do Texas, conseguiu determinar cores a penas individuais e deste modo trabalhar padrões de cores do fóssil inteiro do Anchiornis. No corpo e nas asas, as penas eram cinza-escuras ou pretas, com algumas brancas que criavam um padrão listrado. No rosto e cabeça, elas eram castanho-avermelhadas, formando uma espécie de crista ¿ a semelhança com os pássaros de hoje é notável.


O dinossauro de 110 gramas viveu há 150 milhões de anos (Imagem/AP)


A função dos padrões coloridos ainda não está bem clara, segundo um dos coautores do estudo, o ornitólogo Richard O. Prum, de Yale. A crista poderia ser tanto um sinal para atrair parceiros, enquanto as listras funcionariam como camuflagem para escapar de predadores.

Na semana passada, a revista inglesa Nature já havia divulgado a descoberta da cor de outro fóssil chinês, do gênero Sinosauropteryx , que teria penas alaranjadas e brancas na cauda .

***Com informações da AP


Leia mais sobre: Dinossauro

    Leia tudo sobre: dinossaurofossilfóssil

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG