Cientistas descobrem composto que libera excesso de colesterol das células

Pesquisadores americanos identificaram em camundongos um composto capaz de liberar o excesso de colesterol e lipídios acumulados nas células, indicou nesta segunda-feira a revista americana Proceedings, da Academia Nacional de Ciências.

AFP |

A descoberta pode ajudar a desenvolver um tratamento para a doença de Niemann-Pick do tipo C (NP-C), um mal hereditário que se caracteriza por níveis excessivamente altos de colesterol e outros lípidos em todos os órgãos.

O NP-C perturba o metabolismo do paciente, que se torna incapaz de metabolizar adequadamente o colesterol e outros lípidos, que acabam então se acumulando em órgãos vitais como o fígado, o baço e o cérebro. As conseqüências são disfunções hepáticas, demência e o aparecimento de outras doenças neurodegenerativas.

O mal geralmente se manifesta entre os três e os 15 anos de vida. A maioria das crianças diagnosticadas com NP-C não chegam aos 20 anos, e muitos morrem antes dos 10. Em adultos, 10% dos casos se manifesta com sintomas neurológicos e psicológicos. Poucos chegam aos 40 anos.

"O que descobrimos é que, logo depois de administrar o composto, a enorme quantidade de colesterol que havia se acumulado nas células é subitamente liberada e metabolizada de forma normal", explica John Dietschy, principal autor do estudo e primeiro a alertar para o possível desenvolvimento de uma cura para o NP-C a partir da descoberta.

"Agora, queremos ver o que acontece se administrarmos este composto todas as semanas", diz Dietschy, que é professor de medicina interna da Universidade do Texas Southwestern e há mais de 50 anos pesquisa o metabolismo do colesterol.

"Conseguiremos manter os níveis de colesterol sob controle? É isso o que estudaremos agora", conclui.

js/ap

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG