Cientistas do Albert Einstein College of Medicine, em Nova York, desenvolveram uma pomada para tratar impotência de forma localizada.

Os cientistas desenvolveram nano-partículas capazes de liberar óxido nítrico - substância que ajuda na biologia da ereção e relaxa as células musculares do pênis - de forma contínua.

A pomada, aplicada localmente, foi testada com sucesso em animais e os resultados foram apresentados na reunião anual da Associação Urológica Americana.

Os cientistas aplicaram a pomada em sete ratos geneticamente modificados para ter disfunções eréteis. Cinco deles apresentaram uma ereção visível. Em média, a ereção foi alcançada em 65 minutos.

"Este é um conceito muito interessante que tem potencial de ter impacto sobre muitas condições, inclusive disfunções eréteis, se puder ser levado dos laboratórios animais para as clínicas", disse o médico Ira D. Sharlip, porta-voz da Associação Urológica Americana.

"Ainda falta observar se os efeitos da tecnologia de nano-partículas são locais ou sistêmicos", completou.

Segundo os cientistas, por ser de uso localizado, a pomada pode usar uma dose mais baixa de óxido nítrico e evitar os efeitos colaterais causados pela absorção sistêmica da substância, como no caso de uma pílula.

Vários comprimidos usados em tratamentos contra disfunções eréteis podem tem efeitos colaterais. O Viagra, por exemplo, pode piovocar dor de cabeça, vermelhidão no rosto e dor de estômago.

Segundo a Pfizer, fabricante do produto, mais da metade dos homens de 40 anos de idade podem enfrentar problemas para alcançar ou manter uma ereção.

Leia mais sobre impotência masculina

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.