Tamanho do texto

Um grupo de físicos nucleares franceses desenvolveu uma técnica para autenticar os grandes vinhos introduzindo nas garrafas um feixe de íons de um acelerador de partículas, anunciou nesta segunda-feira o Centro Nacional de Pesquisas Científicas (CNRS).

"A análise dos feixes de íons fornece informações sobre a idade do vinho de acordo com a data de engarrafamento, superando os limites da técnica de medição por radioatividade do césio 137, que não permitia a autenticação das garrafas de vinho com data anterior a 1950", explica o comunicado do CNRS.

O novo processo permite verificar tanto a idade do vinho como sua procedência, tornando a autenticação mais segura. Seria "um pouco como a assinatura de um pintor em seu quadro, tudo isso sem a necessidade de abrir a garrafa e sem afetar seu conteúdo", afirmam os físicos.

As pesquisas foram desenvolvidas como parte de um contrato assinado pela Arcane, célula de transferência tecnológica do Centro de Estudos Nucleares de Bordeaux Gradignan, e por uma sociedade londrina especializada no comércio internacional de grandes vinhos, a The Antique Wine Company.

O contrato prevê a análise de aproximadamente 160 garrafas, que seriam incluídas, em novembro, em um serviço comercial de especialistas, através da criação de uma sociedade independente francesa chamada "Vincert SARL", informa o comunicado.

boc/ap/LR

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.