Xangai, 25 set (EFE).- Cientistas chineses estão estudando a possibilidade de aproveitar o crescente degelo da região polar para abrir uma nova rota marítima comercial da China aos Estados Unidos e Canadá pelo mar Ártico, o que reduziria em um terço o tempo das viagens atuais.

Após três expedições ao Ártico, os cientistas afirmam que o tempo necessário para chegar ao Canadá ou aos Estados Unidos cairia em um terço se a rota for viável, informou hoje o jornal "Shanghai Daily".

"Desde 1999, o gelo do Oceano Ártico está derretendo cerca de uma latitude norte por ano, o equivalente a 100 quilômetros", explicou Zhang Haisheng, o cientista diretor do projeto.

"As temperaturas costumavam ficar abaixo dos 10 graus negativos 77 graus ao norte, mas agora descobrimos que a temperatura é de menos 2 ou 3 graus 85 graus ao norte", afirmou Zhang.

Na última expedição, que percorreu 19.310 quilômetros, 110 tripulantes chineses, entre cientistas e pessoal do navio, e 12 especialistas estrangeiros recolheram dados e amostras que indicam uma redução da salinidade em algumas áreas do Ártico e oscilações atmosféricas. EFE alv/mh

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.