Cientistas britânicos criam antibiótico a partir de larva de mosca

Cientistas britânicos afirmam estar desenvolvendo um antibiótico a partir de larvas de moscas que pode ser eficiente para tratar formas severas de infecção hospitalar. A equipe de especialistas, da Universidade de Swansea, está criando o medicamento a partir de larvas da mosca verde que poderá, no futuro, combater 12 tipos de infecções causadas pela bactéria Staphylococcus aureus resistente à meticilina ou SARM, muito propagada em ambientes hospitalares.

BBC Brasil |

A bactéria se tornou resistente a vários antibióticos, primeiro à penicilina e logo depois à meticilina.

A pesquisa, que também envolveu especialistas belgas, nomeou o medicamento de Seraticin e espera que ele poderá ser ministrado na forma de injeção e comprimidos.

Os cientistas afirmaram que são necessárias 20 larvas para adquirir uma gota de antibiótico em sua forma purificada.

O principal pesquisador envolvido no trabalho, Norman Ratcliffe, disse que a equipe está satisfeita com os resultados obtidos até agora.

"Ainda há muito a avançar se explorarmos todos os benefícios desta descoberta", disse o cientista.

Eficácia
Ratcliffe disse que o próximo passo da pesquisa será confirmar a extensão da eficácia do antibiótico para produzi-lo em larga escala.

O zoologista que forneceu as larvas para o projeto disse que elas têm várias propriedades terapêuticas.

"Elas produzem enzimas que podem limpar feridas e conter a propagação de bactérias", disse Alun Morgan, do laboratório ZooBiotic.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG