Pesquisadores americanos conseguiram produzir uma amnésia seletiva em ratos, e o mesmo método poderá ser aplicado em cérebros humanos para apagar experiências traumáticas, revela um trabalho que será publicado na próxima edição da revista Cell Press.

Joe Tsien, do Instituto do Cérebro e do Comportamento do Medical College da Geórgia, principal autor do estudo, explicou que pesquisas anteriores identificaram moléculas específicas que parecem desempenhar um papel nas diferentes fases do processo de memorização e de recuperação da memória.

Segundo Tsien, a memória contém quatro etapas diferentes: memorização, reforço, armazenamento e recuperação das informações e eventos memorizados.

Tsien estabeleceu um método que permite manipular rapidamente a atividade da molécula chamada CaMKII, uma enzima ligada a vários aspectos do processo de aprendizado e memorização.

"Desenvolvemos recentemente uma estratégia que combina a especificidade molecular da genética e a inibição muito rápida, mediante uma substância química", da atividade da CaMKII, explica o cientista.

Os pesquisadores descobriram que o uso excessivo transitório da enzima CaMKII no momento da recuperação da lembrança bloqueia a memória longa e curta de eventos que provocam medo, assim como a memória imediata.

js/LR

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.