Cientistas americanos recolheram, pela primeira vez, destroços de um meteorito que havia sido detectado antes de cair na Terra, segundo um estudo publicado na revista científica Nature. Cerca de 50 fragmentos do asteroide 2008 TC3 foram recolhidos do deserto da Núbia, no Sudão, onde caíram em outubro do ano passado.

Nasa
Foto divulgada pela Nasa em dezembro de 2008 mostra o meteorito

Foto divulgada pela Nasa em dezembro de 2008 mostra o meteorito

Cientistas acreditam que a descoberta oferece uma oportunidade única de analisar a rota do asteroide e seus componentes.

O meteorito do tamanho de um carro foi detectado por astrônomos da Universidade Estadual do Arizona em outubro do ano passado. O corpo celeste foi acompanhado por telescópios em volta da Terra até se desintegrar na atmosfera terrestre acima do do Sudão.

Peter Jenniskens, autor do estudo e cientista no Seti Institute of California, viajou ao Sudão com uma equipe de pesquisadores para tentar localizar o que havia sobrado do asteroide.

Após uma extensa pesquisa de campo, os pesquisadores localizaram 47 fragmentos do meteorito que juntos pesavam pouco mais de três quilos.

"Este asteroide era feito de um material frágil que o fez se desintegrar a 37 quilômetros de altura antes de ter sua velocidade reduzida significativamente", disse Jenniskens. "É um tipo de meteorito diferente dos que integram nossa coleção".

O co-autor do estudo, Douglas Rumble, do Carnegie Institution, disse que muitos meteoritos já haviam sido traçados antes de explodir ao entrar na atmosfera terrestre. "Isto vem acontecendo durante anos", disse ele. "Mas ver o objeto antes de entrar na Terra e depois segui-lo é algo único".

Quando meteoritos que caem na Terra são estudados, os pesquisadores raramente têm informações sobre de onde vieram ou de que tipo são.

Após comparar informações sobre o asteroide e comparar com os fragmentos encontrados no Sudão, os astrônomos concluíram que o 2008 TC 3 era relativamente jovem, tendo existido por poucos milhões de anos antes de entrar na órbita terrestre.


Leia mais sobre Nasa

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.