Cientista suspeito de ataques com antraz nos EUA se suicidou

Um cientista governamental que participou na investigação dos ataques com cartas envenanadas com antraz nos Estados Unidos, em 2001, se suicidou quando ia ser acusado dos ataques, informou nsta sexta-feira o jornal Los Angeles Times.

AFP |

Bruce Ivins, de 62 anos, não havia sido indiciado publicamente como suspeito no caso das cartas com antraz enviadas a dois senadores e vários jornalistas depois dos ataques de 11 de setembro, provocando medo em todo país.

No entanto, o jornal Los Angeles Times, citando fontes ligadas à investigação do FBI, reportou que Ivins havia sido informado das acusações iminentes em relação ao caso.

Contactado pela AFP, o FBI não quis fazer comentários imediatos.

"Não estamos fazendo qualquer comentário oficial ou emitindo comunicados neste momento", afirmou Debbie Weierman, porta-voz da polícia federal em Washington.

Segundo falou ao jornal um dos irmãos de Thomas Ivins, sua morte não foi uma surpressa. "Ele estava sob muita pressão, já havia sido interrogado pelo FBI".

Cinco pessoas morreram depois de manipular as cartas contaminadas com antraz, no pior ataque biológico da história dos Estados Unidos.

mac-lt/cn

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG