Londres, 14 jan (EFE).- O cientista britânico David Kelly, que se suicidou em 2003 aos 59 anos após denunciar o Governo trabalhista de Tony Blair pelos exageros sobre as supostas armas de destruição em massa do Iraque, inspirou uma opereta.

O libreto da ópera, criado pela autora teatral Zinnie Harris e intitulado "Death of a Scientist" ("Morte de um Cientista"), fala sobre um homem "em crise que se encontra à beira do precipício sem saber para onde pular".

Harris explicou à imprensa escocesa que decidiu explorar a morte de Kelly porque sua história era bem conhecida pelo público, e seu suicídio representou um momento muito importante da recente história política do Reino Unido.

O cientista, ex-inspetor da ONU no Iraque e assessor do Governo britânico em armas biológicas, foi acusado de ser a fonte de uma notícia da "BBC" que falava das provas exageradas que justificaram o ataque ao Iraque.

Dias antes, o funcionário britânico tinha sido submetido a um duro interrogatório na comissão parlamentar que investigava as provas do Governo sobre o Iraque, e achou que estava encurralado.

"Death of a Scientist", com 15 quinze minutos de duração, foi composta por John Harris e estreará em 21 de fevereiro em Glasgow, junto a outras quatro operetas. EFE jr/db

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.