Cientista que criou LSD morre aos 102 anos

O químico suíço Albert Hofmann, que descobriu a droga alucinógena LSD, morreu de ataque do coração nesta terça-feira aos 102 anos de idade em sua casa na Basiléia. Hofmann produziu o LSD pela primeira vez em 1938 enquanto pesquisava usos medicinais para uma colônia de fungo.

BBC Brasil |

Ele ingeriu acidentalmente a droga no laboratório.

"Tudo o que vi estava distorcido como em um espelho curvado", disse ele, após a experiência.

'Imagens fantásticas'

Após a descoberta, Hofmann voltou a experimentar uma pequena quantidade da droga no laboratório farmacêutico da empresa Sandoz.

Hofmann afirma que teve visões de "imagens fantásticas, formas extraordinárias, com cores intensas e caleidoscópicas".

Ele esperava que o LSD fosse usado para tratamento de doenças mentais. A droga acabou se tornando popular no movimento de contracultura dos anos 1960.

Um dos principais propagadores do LSD foi o professor de Harvard Timothy Leary, um dos ícones da contracultura, que recomendava o uso da droga.

Em referência ao LSD, Leary cunhou a frase "turn on, tune in, drop out" ("ligue-se, sintonize e caia fora").

Ainda nos anos 60, o LSD foi banido em muitos países, depois de indícios de que a droga causaria danos psicológicos permanentes.

Leia mais sobre: drogas

    Leia tudo sobre: drogas

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG