Cientista dos EUA ligado a caso de antraz se suicida, diz jornal

Por Alan Elsner WASHINGTON (Reuters) - Um importante cientista do governo norte-americano -- que ajudou a investigar uma série de ataques com antraz em 2001 -- morreu, aparentemente por suicídio, logo antes do Departamento de Justiça acusá-lo de ser responsável pelos ataques, informou o jornal Los Angeles Times na sexta-feira.

Reuters |

O jornal, que citou pessoas ligadas ao cientista, à sua morte e à investigação do FBI, identificou o homem como Bruce Ivins, 62, que trabalhou nos últimos 18 anos nos laboratórios de pesquisa de biodefesa do governo norte-americano, em Maryland.

A CNN disse que o Departamento de Justiça 'considerava seriamente' acusá-lo, logo antes de sua morte. Mas o órgão não comentou o assunto.

O Los Angeles Times disse que Ivins foi informado sobre o processo na terça-feira, quando ele morreu depois de ingerir uma enorme dose de analgésicos. As autoridades de Maryland não declararam oficialmente ainda a causa da morte.

O antraz foi enviado por correio a organizações de mídia e políticos norte-americanos, pouco depois dos ataques de 11 de setembro de 2001. Cinco pessoas morreram e 17 ficaram doentes devido à substância. O sistema nacional de correios foi comprometido, um prédio do Senado foi fechado e o medo de novos ataques tomou conta da população.

Microbiologista talentoso, Ivins ajudou o FBI a analisar o material recolhido em um dos envelopes enviados ao gabinete de um senador em Washington, segundo o jornal.

(Reportagem de Alan Elsner)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG