CIDH inicia julgamento sobre crimes da ditadura contra guerrilha do Araguaia

San José, 20 mai (EFE).- A Corte Interamericana de Direitos Humanos (CIDH) iniciou hoje a audiência pública sobre o caso Gomes Lund, ligado a violações no combate à guerrilha do Araguaia pelas Forças Armadas durante a ditadura, na primeira metade dos anos 1970.

EFE |

San José, 20 mai (EFE).- A Corte Interamericana de Direitos Humanos (CIDH) iniciou hoje a audiência pública sobre o caso Gomes Lund, ligado a violações no combate à guerrilha do Araguaia pelas Forças Armadas durante a ditadura, na primeira metade dos anos 1970. A audiência começou hoje, em San José (Costa Rica), sede da CIDH, com a declaração de familiares das vítimas, que, vestindo camisetas brancas com fotografias de seus parentes desaparecidos, narraram aos juízes tanto os fatos durante a ditadura, quanto os obstáculos que asseguram enfrentar durante anos na Justiça brasileira. A audiência na CIDH vai até amanhã e deve contar com declarações de representantes do Estado brasileiro. De acordo com o processo da CIDH, o caso se refere a uma série de ações de repressão realizadas pelas Forças Armadas entre 1972 e 1975, nas margens do rio Araguaia, no Pará. Nas ações, teria havido detenção, tortura, desaparecimento e execução de pelo menos 70 camponeses e membros do Partido Comunista. Dos 70 desaparecidos no Araguaia, só foram encontrados os corpos de quatro, todos graças à ação de parentes. EFE nda-dmm/pd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG