CIDH condena morte de Zapata e exige a Cuba libertação imediata de presos

Washington, 26 fev (EFE).- A Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH) condenou hoje a morte do preso político Orlando Zapata Tamayo, e exigiu a Havana que liberte imediatamente os 75 dissidentes detidos na Primavera Negra e cumpra suas obrigações em matéria de direitos humanos.

EFE |

Em comunicado, a CIDH condenou e lamentou "profundamente" a morte do dissidente cubano após 85 dias em greve de fome e expressou pêsames e solidariedade aos familiares de Zapata.

A Comissão lembrou que o dissidente era uma das vítimas do chamado caso 12.476, sobre os 75 opositores condenados a penas de até 28 anos de prisão na chamada Primavera Negra de 2003, acusados por Cuba de "mercenários" a serviço dos Estados Unidos.

Nesse caso, a CIDH recomendou a Cuba libertar imediatamente e incondicionalmente todos os presos e que declare nulas as penas contra eles por terem se baseado em leis que impõem restrições ilegítimas aos direitos humanos. EFE cai/sa

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG