Cidades da oposição iniciam movimento de greve na Bolívia

Pelo menos quatro cidades das regiões separatistas da Bolívia iniciaram um movimento de greve nesta terça-feira, exigindo do governo socialista do presidente Evo Morales a restituição de fundos públicos regionais, informaram redes de televisão locais.

AFP |

Os transportes públicos nas cidades de Santa Cruz (leste), Sucre (sudeste), Tarija (sul) e Trinidad (nordeste) e os estabelecimentos bancários privados interromperam suas atividades nesta terça-feira, informaram os canais privados Red Uno e PAT, divulgando imagens de ruas desertas.

O objetivo dos grevistas é exigir do governo a restituição de 166 milhões de dólares de fundos públicos necessários para o pagamento de pensões a idosos, segundo as autoridades regionais.

Incidentes violentos isolados foram registrados em um bairro operário de Santa Cruz, onde jovens militantes pró-governo atacaram com pedaços de pau jornalistas locais que cobriam o início da greve.

Os serviços aduaneiros bolivianos lamentaram em comunicado o ataque a sua agência de Tarija, capital da região mais rica do país em gás natural, cometido na madrugada desta terça-feira por um comitê da oposição.

"Condenamos todos os atos de violência", declarou o ministro do Trabalho, Walter Delgadillo, citado pelo canal PAT.

Na perspectiva de uma escalada da violência, o governo ordenou a mobilização de efetivos do Exército e da Polícia nas cidades em greve. O número destes reforços não foi especificado, segundo as redes de TV.

jac/yw

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG