Cidade de Tokayo se prepara para receber os países mais industrializados do mundo

A pequena estação termal de Tokayo, nas montanhas do norte do Japão, prepara-se para receber, na próxima semana, a cúpula do G8, os sete países mais industrializados do mundo mais a Rússia.

AFP |

Faixas de boas-vindas aos dirigentes do mundo inteiro já estão por toda a cidade, patrulhada por milhares de policiais procedentes de todo o Japão para prevenir eventuais atentados terroristas.

"Quase nunca vemos a polícia por aqui. Hoje, se jogamos uma pedra para o alto, ela tem grandes chances de cair em um policial", comenta, um tanto irritado, Takahiro Ano, um agricultor de 33 anos.

"Ouvi dizer que o número de policiais ainda vai aumentar. Deixem-nos em paz!", pediu.

Cerca de 21.000 policiais serão posicionados em Tokayo e seus arredores durante a cúpula, entre os dias 7 e 9 de julho, que reunirá os dirigentes dos oito países mais ricos do planeta e os de outras 15 nações convidadas.

Banhada pelas águas do lago Toya, no pé do monte vulcânico Usu, Tokayo tem apenas 10.700 habitantes. A cúpula acontecerá num hotel de luxo que domina o lago.

Além de ser agricultor, Takahiro Ano é proprietário de um bar, onde o número de freqüentadores caiu 40% em um mês.

"Com todos esses policiais nas ruas, as pessoas não têm vontade de sair para beber", reclama. "Acho ridícula toda essa empolgação com a cúpula".

Os funcionários dos hotéis da cidade confirmam que o número de turistas diminuiu devido à forte presença policial.

"Tokayo é hoje a cidade mais segura do mundo", considerou um proprietário de restaurante local.

Uma vendedora de uma loja de suvenires também não vê com bons olhos a onipresença da polícia.

"Esta cúpula só perturba. A polícia está em toda a cidade, interrogando moradores e inspecionando os carros. Sei que estão fazendo seu trabalho, mas acho isso insuportável", afirmou.

Outros moradores tentam ver o lado positivo. "É verdade que os turistas ainda não vieram, mas temos que agradecer à polícia. Se um ataque terrorista acontecesse aqui, o mundo inteiro falaria que Tokayo é um lugar perigoso", diz Yoshitaka Kaneyoshi, 73 anos, que organiza passeios de barco no lago.

Por enquanto, a maioria dos freqüentadores do camping vizinho de Toyura são policiais. Cerca de 70 barracas verdes foram montadas ao lado de 30 veículos das Forças de Autodefesa Terrestres, o Exército japonês.

Os policiais também estão mobilizados na estação de esqui de Rusutsu, onde será instalado o centro de imprensa internacional.

mis/yw/sd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG