A cidade de Qingdao, que é sede das provas de vela, proibiu os moradores de entrarem nas águas costeiras onde serão realizadas as Olimpíadas. A partir das oito da manhã do dia sete de agosto nenhuma pessoa poderá se banhar, nadar, pescar ou velejar na costa olímpica da cidade.

A medida anunciada pela imprensa estatal chinesa nesta quinta-feira tem por objetivo garantir a segurança do evento e estará em vigor até o dia 24 de agosto.

A proibição se aplica a diversas praias de Qingdao. As águas que se estendem entre o leste da ilha de Tuandao até a região de Shilaoren estão interditadas para qualquer barco, iate ou lancha que não faça parte das flotilhas competidoras.

Igualmente, nas áreas recreativas ao leste de Huiquanjiao não será permitido nadar, mergulhar, pescar e brincar com réplicas de barcos com controle remoto, informou a secretaria de segurança da cidade.

Área reduzida
Para o contentamento da população o governo avisou que deverá designar algumas partes onde ainda será permitido ir à praia e aproveitar o verão.

Mas os cerca de 8 milhões de habitantes de Qingdao terão de se acomodar em uma área reduzida sob pena de serem processados pela prefeitura, se forem pegos infringindo a proibição.

Qingdao é uma cidade costeira no nordeste da China e abrigará as provas olímpicas de iatismo entre nove e 23 de agosto.

No começo do mês a cidade sofreu uma infestação de algas verdes que deixaram as águas impróprias para a navegação.

Uma força tarefa do Exército com dez mil soldados recolheu às pressas mais de 180 mil toneladas de algas do mar, para que as competições pudessem ser realizadas.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.