Ciclone Aila deixou 217 mortos em Bangladesh e na Índia

O ciclone Aila, que na segunda-feira atingiu a costa sul de Bangladesh e o leste da Índia, provocou a morte de 217 pessoas nos dois países, anunciaram nesta quinta-feira as autoridades, enquanto os primeiros sobreviventes começavam a voltar para casa.

AFP |

De acordo com o balanço, a maioria dos 147 mortos de Bangladesh são crianças, mortas por afogamento em meio a ondas de até quatro metros de altura.

A tempestade deixou 6.000 feridos e cerca de 250.000 pessoas desabrigadas. Além disso, destruiu plantações, povoados e estradas no litoral meridional, onde soldados e equipes de socorro civis distribuem desde terça-feira alimentos, água potável e barracas.

"No começo, os trabalhadores humanitários militares e civis não conseguiam fazer a ajuda chegar às vítimas, mas já está chegando agora", afirmou o porta-voz da célula governamental encarregada da gestão de catástrofes naturais, Mohamad Ashrafuzaman.

Cerca de 220.000 casas foram destruídas e outras 300.000 sofreram danos com a passagem do ciclone pela costa, estimou Ashrafuzaman. Apesar disso, milhares de pessoas começaram a retornar para suas cidades de origem nesta quinta-feira.

Em outros lugares, como no coração do delta de Sundarbans, um imenso bosque de mangue, aproximadament 100.000 pessoas permanecem refugiadas em abrigos, para onde correram na segunda-feira.

Para desespero dos ambientalistas, nesta região vivem também 650 tigres de Bengala, uma espécie em extinção.

O ciclone Aila também atingiu a cidade de Calcutá, capital do Estado indiano da Bengala Ocidental, onde vivem 15 milhões de pessoas.

burs/ap

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG