CIA contratou companhia privada para capturar membros da Al-Qaeda, diz jornal

Uma reportagem do jornal americano The New York Times afirma que a CIA (Agência Central de Inteligência dos Estados Unidos) contratou a agência de segurança privada americana Blackwater para encontrar e matar membros importantes da organização Al-Qaeda. Citando autoridades do governo atual e do governo anterior de George W.

BBC Brasil |

Bush, o jornal afirma que executivos da Blackwater, empresa que gerou controvérsia devido às suas táticas agressivas no Iraque, ajudaram a agência de espionagem no planejamento, treinamento e vigilância da operação.

A CIA gastou milhões de dólares no programa secreto mas nenhum suspeito de terrorismo foi preso ou morto.

Os funcionários da Blackwater são usados para fazer a segurança de funcionários do governo americano no Iraque desde 2003, mas foram acusados de uso excessivo da força em várias ocasiões, incluindo na morte de 17 civis em Bagdá, em 2007.

A companhia, que fica no Estado da Carolina do Norte e que não teve sua licença para operar no Iraque renovada, adotou um novo nome, Xe Services. O jornal afirma que a companhia não se manifestou a respeito destas informações.

Sem contrato
O jornal Washington Post também publicou denúncias a respeito da CIA. Segundo o jornal o programa de assassinatos foi inicialmente lançado em 2001, como um esforço liderado pela CIA para matar ou capturar membros da Al-Qaeda usando as forças paramilitares da agência.

Mas, em 2004, o programa foi interrompido por um breve período. E depois da CIA resolveu retomar este programa usando companhias privadas, afirma o Post citando autoridades americanas.

O The New York Times afirma que a CIA não tinha um contrato formal com a Blackwater para a procura e assassinato de integrantes da Al-Qaeda, fechando em vez disso acordos individuais.

O fato de a CIA ter usado os serviços de uma outra companhia para o programa foi uma das razões de o diretor da agência, Leon Panetta (que assumiu depois da posse de Barack Obama), ter convocado uma reunião de emergência em junho para comunicar ao Congresso americano que agência tinha mantido em segredo os detalhes do programa durante sete anos.

O The New York Times afirma que ainda não foi esclarecido se a CIA planejou usar a Blackwater para realmente capturar ou matar membros da Al-Qaeda ou apenas para ajudar no treinamento e vigilância dentro do programa.

Apesar de algumas tarefas polêmicas, como o interrogatório de prisioneiros, terem sido repassadas para companhias privadas nos últimos anos, o fato de pessoas de fora da CIA terem sido usadas em um programa com "autoridade letal" aumentou a preocupação em torno de operações secretas, de acordo com as autoridades anônimas ouvidas pelo jornal.

O Comitê de Inteligência da Câmara dos Representantes dos Estados Unidos está investigando se a CIA desrespeitou a lei ao não informar o Congresso sobre o programa durante sete anos.

A senadora democrata Dianne Feinstein , presidente do Comitê de Inteligência do Senado americano, afirmou em julho que Panetta disse ao Congresso que o ex-vice-presidente Dick Cheney era o responsável pelo segredo da operação.

Mas alguns republicanos acusam os democratas de tentar obter vantagens políticas com esta situação.

"Creio que há um pouco mais de drama e intriga do que pode ser justificado", afirmou o congressista Peter Hoekstra, o mais importante republicano do comitê da Câmara dos Representantes.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG