CIA ameaçou matar filhos de principal autor do 11 de Setembro

Agentes da CIA ameaçaram Khaled Cheikh Mohammed, que assumiu a posição de cérebro dos atentados de 11 de Setembro de 2001, de matar seus filhos se ele não falasse durante as sessões de interrogatórios a que foi submetido, segundo um relatório interno da Central de Informação Americana, publicado nesta segunda-feira.

Redação com AFP |


"Um agente mais antigo detalhou que os interrogadores ameaçaram Khaled Sheikh Mohammed com as seguintes palavras: qualquer outra coisa que acontecer aos Estados Unidos, mataremos seus filhos", assegurou o inspetor-geral da CIA. O relatório tem páginas inteiras censuradas e data de 2004.

O documento reproduz, além disso, as condições em que um outro dirigente da Al-Qaeda, Abdel Rahim al-Nachiri, principal suspeito do atentado contra o navio americano USS Cole em outubro de 2000, no Iêmem, foi interrogado.

Foi ameaçado primeiro com um revólver apontado para sua cabeça e, depois, com uma furadeira elétrica, também virada para sua cabeça. "O interrogador entrou na cela e ligou a furadeira para amedrontar o detido que estava nu, com a cabeça coberta por um capuz", explicou o inspetor-geral, precisando que a furadeira jamais foi usada.

Uma outra vez, um tradutor reproduziu ao detento a frase: "poderemos trazer sua mãe aqui e toda a sua família" num dialeto árabe, com um tom e uma acentuação particulares.

Tratava-se, segundo o relatório, de atiçar os temores de Al-Nachiri sobre boatos que corriam na época, no Oriente Médio, segundo os quais, entre as técnicas de interrogatório, estavam o estupro das mulheres e de demais membros da família na frente dos detidos.

Leia também:


Leia mais sobre: CIA

    Leia tudo sobre: ciainterrogatóriooriente médiotortura

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG