Nova York, 23 abr (EFE).- A CIA (agência central de inteligência americana) começará amanhã a informar a várias comissões do Congresso dos Estados Unidos que o recinto na Síria destruído por um ataque aéreo israelense em setembro passado era uma usina nuclear construída com ajuda e participação direta da Coréia do Norte.

A informação foi divulgada hoje pelos diários "The Wall Street Journal" e "Los Angeles Times", que citam como fontes funcionários americanos.

Segundo as duas publicações, a CIA explicará às comissões, em diferentes sessões a portas fechadas, que os norte-coreanos colaboravam com a Síria na construção de uma usina nuclear que teria produzido plutônio, parecida com a instalação de Yongbyon, ao norte de Pyongyang.

Os representantes da CIA informarão em seus comparecimentos que essa central síria teria sido capaz de produzir plutônio apto para a fabricação de armas nucleares, o que não ocorreu em função do ataque israelense.

O porta-voz da Embaixada síria em Washington Ahmed Salkini disse ao "Wall Street Journal" que seu país já viu "no passado que este Governo (dos EUA) não precisa de provas, mas emprega falsos pretextos" para justificar seus propósitos.

"Esperamos que o Governo (do presidente George W. Bush) não dê um passo mal calculado que poderia gerar ainda mais caos em nossa região", acrescentou o diplomata sírio. EFE wm/mh

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.