Chuvas voltam a atingir o sul e o sudeste, mas sem novas vítimas

Rio de Janeiro, 9 set (EFE).- As regiões Sul e Sudeste voltaram a ser castigadas por fortes chuvas na madrugada desta quarta-feira, mas sem os estragos do dia anterior, quando um vendaval deixou quatro mortos e 138 feridos no estado de Santa Catarina e uma série de desabamentos causou três mortes em São Paulo.

EFE |

As chuvas prosseguiram em várias regiões dos estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná e São Paulo sem o registro de novas vítimas ou incidentes de gravidade, segundo os boletins das divisões de Defesa Civil locais.

As autoridades de Santa Catarina, o estado mais afetado pelo mau tempo, permanecem em estado de alerta diante da previsão de que os temporais continuarão hoje, inclusive com chuvas de granizo, e da possibilidade de deslizamentos de terras em algumas cidades.

Segundo o último boletim da Defesa Civil catarinense, além das quatro mortes e dos 138 feridos, o vendaval que afetou 45 municípios de Santa Catarina fez com que sete mil pessoas fossem obrigadas a deixar suas casas e causou danos totais ou parciais em mais de dez mil residências.

A cidade de Guaraciaba, perto da fronteira com a Argentina, foi a mais castigada pelo vendaval. As quatro mortes em Santa Catarina ocorreram no município, que também registrou 89 feridos. Além disso, pelo menos 9.100 de seus dez mil habitantes ficaram desabrigados.

O prefeito de Guaraciaba, Ademir Zimmermann, disse que "não sobrou praticamente nada" na cidade, situada a 730 quilômetros de Florianópolis, razão pela qual decretou o estado de emergência.

Também se declararam em emergência as cidades de Santa Terezinha, São Domingos, Vargeão e Vargem Bonita, igualmente atingidas pelo vendaval que arrancou telhados inteiros e derrubou as redes de eletricidade.

As autoridades creem que o vendaval está relacionado com a tormenta que na terça-feira causou pelo menos nove mortos e 61 feridos na província argentina de Misiones, vizinha à região Sul.

Mas as fortes chuvas também deixaram estragos em outros estados do Brasil e praticamente paralisaram a cidade de São Paulo, onde as enchentes e os deslizamentos de terra provocaram três mortes.

Segundo a agência meteorológica Climatempo, terça-feira foi o dia com maior volume de chuvas para um dia de setembro em São Paulo nos últimos 25 anos.

A diminuição das chuvas permitiu a redução das inundações que ontem impediam o trânsito em algumas ruas. Entretanto, na manhã de hoje algumas importantes vias paulistanas ainda estavam cobertas pela água.

O Corpo de Bombeiros confirmou a localização dos cadáveres de três crianças que ficaram soterradas por um deslizamento de terra em Osasco, um dos municípios da região metropolitana de São Paulo. EFE cm/bba

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG