Rio de Janeiro, 6 abr (EFE).- Pelo menos 77 pessoas morreram por causa das chuvas que caem no estado do Rio de Janeiro desde o final da tarde de segunda-feira, segundo a Secretaria estadual de Defesa Civil.

"Nunca choveu tanto no Rio de Janeiro, nem em 1966, nem em 1988, nem em nenhum outro ano", afirmou o governador fluminense, Sérgio Cabral, ao apontar que o volume de água que caiu entre ontem e hoje no estado em tão pouco tempo é inédito.

"Trata-se da maior inundação na história do Rio de Janeiro", acrescentou Cabral ao fazer um balanço da situação após um encontro com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Segundo o governador, a maior parte dos mortos foi vítima de deslizamentos de terra ocorridos em favelas da região metropolitana do Rio de Janeiro.

Cabral acrescentou que, além da cidade do Rio, que vive uma situação caótica desde a segunda-feira por causa da inundação das principais vias e da paralisação dos transportes e do comércio, também houve um elevado número de vítimas nas vizinhas Niterói e São Gonçalo.

O governador aproveitou para questionar a gestão de seus antecessores e atribuir o alto número de vítimas a outros Governos que permitiram o crescimento de favelas em áreas de risco.

O próprio Lula, que teve que cancelar a maioria dos compromissos previstos para hoje no Rio de Janeiro, recomendou que as pessoas que vivem em áreas de risco abandonem seus lares e busquem refúgio em áreas mais seguras.

O presidente reforçou o pedido das autoridades do Rio de Janeiro para que a população permaneça hoje em suas casas.

Como consequência das chuvas, as escolas e universidades suspenderam as aulas e muitos estabelecimentos comerciais e escritórios mantiveram suas portas fechadas porque seus funcionários não conseguiram chegar aos locais de trabalho.

Apesar de a chuva ter diminuído a partir do final da manhã de hoje, meteorologistas preveem que a água deve continuar a cair até quinta-feira, mas não com a mesma intensidade das últimas horas.

Segundo o sistema Alerta Rio, entre a noite de segunda-feira e a manhã desta terça-feira, caiu na cidade do Rio o dobro da chuva esperada para todo o mês de abril.

Enquanto a média pluviométrica histórica para o mês é de 90 milímetros, o registrado entre ontem e hoje foi de 178 milímetros.

EFE cm/bba

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.