Chuvas na Caxemira: saldo até agora é de 132 mortos

Região contabiliza cerca de 500 desaparecidos após deslizamentos de terra

EFE |

As intensas chuvas que caíram na região indiana da Caxemira deixaram um saldo de pelo menos 132 mortos e 400 feridos até agora em decorrência dos deslizamentos de terra, além de 500 desaparecidos, entre eles uma espanhola e dois franceses.

Os trabalhos de resgate continuam hoje na turística Leh. O inspetor-geral da Polícia da Caxemira, Farooq Ahmad, explicou à Agência Efe que, até o momento, foram identificados 63 corpos, nenhum deles de estrangeiros.

A origem da tragédia foram fortes chuvas que caíram na madrugada local de sexta-feira sobre a cidade de Choglamsar, provocando deslizamentos de terra e avalanches de barro sobre Leh, que fica a mais de 3,5 mil metros de altura, e as cidades ao redor, conectadas por precárias estradas.

Cerca de 6 mil soldados indianos, inclusive membros da guarda de fronteiras indo-tibetana, participam dos trabalhos de resgate. Várias aeronaves da Força Aérea levam provisões à região afetada pelas águas. O inspetor alertou que o número de vítimas continuará crescendo, já que se desconhece quantas pessoas havia no local no momento das chuvas na região, habitualmente árida e agora gravemente afetada. As informações chegam lentamente devido às deficientes conexões telefônicas. EFE amp-ja/sa

    Leia tudo sobre: deslizamentomortescaxemira

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG