Pequim - Pelo menos 307 pessoas morreram na China de um total de 67,36 milhões de afetados por inundações, deslizamentos e tufões desde que a temporada de chuvas começou no país asiático, em abril, informou hoje o Ministério de Recursos de Água chinês.

Os números, que abrangem desde o dia 1º de abril até hoje indicam também que outras 113 pessoas permanecem desaparecidas.

Entre os 67,36 milhões de afetados se incluem os que tiveram que deixar suas casas, os que perderam suas moradias e os que foram remanejados para outros imóveis, segundo os dados publicados no site do Ministério.

No total, 260 mil casas foram destruídas em todo o país, enquanto a superfície total de cultivo que ficou destruída por estas catástrofes naturais chega a 5,33 milhões de hectares.

As perdas econômicas diretas pelas chuvas somam 46,5 bilhões de iuanes (US$ 6,8 bilhões).

Em toda a China, 130 rios sofreram inundações, que afetam um total de 29 províncias e regiões.

Segundo o Ministério, as perdas humanas e materiais caíram em relação ao ano passado. De fato, o número de mortos até hoje é 80% menor do que o do mesmo período do ano passado. Já a quantidade de afetados diminuiu 40% e as perdas materiais diretas, 30%.

No entanto, em regiões como as do delta do Rio das Pérolas, as perdas humanas e econômicas são as maiores em duas décadas.

As chuvas estão afetando todo o centro e sul da China, notadamente as províncias de Sichuan, Jiangxi, Hunan, Guizhou e Guangxi Zhuang. Desde o início de junho, essas regiões somam 66 mortos e 66 desaparecidos, além de mais de 30 mil pessoas que tiveram que deixar suas casas.

Em Sichuan, no sudoeste, os deslizamentos de terra mataram 46 pessoas e 66 ainda estão desaparecidas, declarou Wei Hong, vice-governador da província, citado pela agência de notícias "Xinhua".

Na província de Jiangxi, as chuvas obrigaram 17.500 pessoas a deixar suas casas e destruíram 180 imóveis.

Na região autônoma de Guangxi Zhuang (sul), 190 mil pessoas estão sob a ameaça de possíveis deslizamentos.

Além disso, 17 pessoas morreram por causa dos deslizamentos de terra na província de Hunan, onde outras 13.300 tiveram que ser retiradas de suas casas.

Em Guizhou, três pessoas morreram, e as chuvas afetaram 490 mil imóveis.

O Observatório Meteorológico da China alertou que as chuvas continuarão a cair em Sichuan, Jiangxi e Hunan pelo menos até amanhã.

Leia mais sobre: chuvas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.