Chuvas deixam 9 mortos e milhares de desabrigados na Bolívia

La Paz, 26 jan (EFE).- Nove pessoas morreram e 22.

EFE |

614 famílias ficaram desabrigadas na Bolívia desde o final de 2009 devido às intensas chuvas que provocaram a cheia de rios no país, informaram hoje fontes oficiais.

Segundo o reporte do Vice-Ministério de Defesa Civil, as chuvas ocasionaram duas mortes na região central de Cochabamba, três em Potosí (sudoeste) e três em Chuquisaca (sudeste), onde também há duas pessoas desaparecidas.

Além disso, o Centro Operacional de Emergências (COE) da região de Santa Cruz (leste) comunicou o falecimento de um homem de 38 anos que foi arrastado por um rio há dois dias.

Nessa mesma região, o COE recuperou o corpo de um adolescente de 14 anos que se afogou enquanto nadava em um rio e procura o corpo de uma criança de 9 anos que caiu de uma canoa e foi arrastado pela correnteza.

O Vice-Ministério de Defesa Civil espera os comunicados finais em ambos os casos para estabelecer se estas mortes podem ser atribuídas às chuvas.

O titular da pasta, Hernán Tuco, disse à imprensa local que, até o momento, há 22.614 famílias desabrigadas pelas chuvas e enchentes em todo o país, em particular nos departamentos de Santa Cruz, Cochabamba e Beni (nordeste).

O transbordamento do leito de seis rios nestas três regiões provocou danos a milhares de hectares de cultivos agrícolas e obrigou famílias a se mudarem para regiões mais altas.

Tuco lembrou que o Governo boliviano dispõe de US$ 6,6 milhões para enfrentar a temporada de chuvas. Metade do valor já foi investido na compra de remédios, tendas, alimentos e ferramentas.

O vice-ministro acrescentou que solicitou um crédito de US$ 75 milhões à Corporação Andina de Fomento (CAF) para atender as emergências na Bolívia. EFE gb/bba

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG