Chuvas de monções matam mais 114 pessoas no norte da Índia

LUCKNOW, Índia (Reuters) - Enchentes provocadas por fortes chuvas atingiram centenas de vilarejos do norte da Índia, matando ao menos 114 pessoas desde a semana passada, disseram autoridades do país. Segundo o governo indiano, mais de 650 vilarejos estão isolados no Estado de Uttar Pradesh (norte) depois de rios terem transbordado, afetando quase 1,5 milhão de pessoas.

Reuters |

Uttar Pradesh é o Estado mais populoso da Índia, com 170 milhões de habitantes, e é também uma das regiões mais sujeitas a enchentes do país. Centenas de pessoas morrem ali todos os anos devido às chuvas.

Muitas das últimas mortes ocorridas no Estado foram provocadas pelo desabamento de casas.

No total, cerca de 660 pessoas perderam a vida neste período de monções em Uttar Pradesh, disse à Reuters, na quinta-feira, Balwinder Kumar, uma importante autoridade do governo indiano.

'As chuvas incessantes continuaram a provocar estragos em todo o Estado durante a atual temporada das monções', afirmou Kumar.

Ao menos 41 pessoas foram mortas nos últimos dois dias, período durante o qual as chuvas castigaram Uttar Pradesh, destruindo 2.500 casas e inundando áreas de plantio, disse a autoridade.

As chuvas fortes destruíram colheitas de arroz e trigo, principal fonte de renda do Estado.

Ao menos 6.000 pessoas desabrigadas estão vivendo dentro de escolas, afirmaram autoridades.

Segundo o governo, há previsão de mais chuvas nas próximas 48 horas e teme-se o agravamento da crise.

No último mês, em outras partes da Índia, ao menos 100 pessoas morreram devido ao desabamento de casas, a picadas de cobra ou a afogamentos.

A temporada anual das monções inicia-se na Índia em 1o de junho e termina em setembro. Essas chuvas são essenciais para irrigar 60 por cento das terras férteis dessa nação e para garantir o crescimento econômico de um país altamente dependente de seu setor agrícola.

No entanto, as precipitações sempre provocam muita destruição, matando centenas de pessoas e destruindo casas, plantações, estradas e pontes.

(Por Sharat Pradhan)

REUTERS FE

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG