Chuva forte atrasa início de missão de resgate de refém das Farc

FLORÊNCIA, Colômbia (Reuters) - O início da missão humanitária da Colômbia para receber um militar sequestrado por mais de 12 anos pela guerrilha Farc sofreu um atraso nesta terça-feira devido a fortes chuvas na região da selva onde foi acertada a libertação unilateral, informou o governo. As condições climáticas estão ruins na região do departamento de Caquetá, onde as Forças Armadas Revolucionária da Colômbia (Farc) e o Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICR) acertaram o local para a entrega do sargento Pablo Emilio Moncayo.

Reuters |

"Há um fenômeno meteorológico que vem do sudeste para o noroeste e passa pela zona na qual seria a libertação. A decisão sobre se o voo pode ser feito ou não é do comandante da aeronave, da tripulação brasileira", disse o alto comissário para a paz do governo, Frank Pearl.

"Há um espaço de tempo que vamos esperar e serão eles e o Comitê Internacional da Cruz Vermelha que informarão as decisões", acrescentou.

Pearl explicou que a missão humanitária foi adiada por uma hora, mas a operação não foi cancelada porque ainda há uma oportunidade de realizá-la hoje.

A senadora do Partido Liberal Piedad Córdoba, que faz parte da missão humanitária, afirmou: "Continuamos com esperança, o clima vai melhorar. Que toda a Colômbia se una em oração para que possamos trazer Moncayo hoje para casa."

(Reportagem de Herbert Villarraga em Florência e Luis Jaime Acosta em Bogotá)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG