GAZA - Pelo menos treze pessoas foram mortas e dezenas ficaram feridas nesta sexta-feira durante confrontos entre integrantes das forças de segurança do grupo palestino Hamas e seguidores de um clérigo radical islâmico na Faixa de Gaza.

Segundo testemunhas, policiais do Hamas e outros militantes teriam cercado e atacado com foguetes uma mesquita em Rafah, perto da fronteira com o Egito, onde os seguidores do clérigo Abdel-Latif Moussa se concentravam.

Horas antes, Moussa havia feito um sermão onde proclamava a criação de emirado islâmico em Gaza. Segundo algumas fontes, o grupo liderado pelo clérigo, o Jund Ansar Allah (Guerreiros de Alá, em tradução livre) teria ligações com a rede extremista Al-Qaeda.

Reuters
Membros do Jund Ansar Allah protegem Moussa após sermão em Rafah
Membros do Jund Ansar Allah protegem Moussa após sermão em Rafah

De acordo com a correspondente da BBC no Oriente Médio Katya Adler, o clérigo e seus seguidores haviam prometido lutar até a morte para não entregarem o controle da mesquita ao Hamas. Um foguete lançado pelos seguidores de Moussa teria matado uma autoridade do Hamas.

O grupo Jund Ansar Allah é conhecido por ser bastante crítico ao Hamas, que controla a Faixa de Gaza, acusando-o de não adotar posturas que sigam de maneira estrita a lei islâmica.

O Hamas já desbaratou outros grupos inspirados na rede Al-Qaeda no passado, mas o grupo teme que outros militantes extremistas se dirijam à região, o que fez com que a entrada de pessoas armadas que não pertençam ao Hamas tenha sido proibida em Gaza.

(Com informações da BBC Brasil)

Leia mais sobre Gaza

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.