Choques com palestinos matam um soldado de Israel e ferem quatro

Militar israelense foi morto por fogo amigo, durante retaliação de Israel a disparos feitos por palestinos em Gaza

iG São Paulo |

Ao menos um soldado morreu e quatro outros ficaram feridos nesta sexta-feira durante conflitos entre forças israelenses e palestinos da Faixa de Gaza. Segundo a mídia de Israel, o soldado israelense foi morto por fogo amigo, durante o contra-ataque de Israel aos disparos de armas automáticas e morteiros efetuados por palestinos na Faixa de Gaza.

Os soldados dispararam contra o grupo mas por uma "razão desconhecida", um dos tiros de morteiro atingiu por erro o militar israelense. O soldado morto foi identificado como sargento Natav Rotenberg, 20 anos. A rede de televisão Channel 10 informou que o incidente, envolvendo uma troca de tiros, aconteceu próximo de Beeri kibutz, na fronteira com a Faixa de Gaza.

AFP
Soldado israelense ferido é levado para hospital Beer Sheva
Dois soldados foram levados ao hospital de helicóptero e os outros receberam atendimento médico no local. Ainda não está claro se algum palestino ficou ferido no incidente.

Um porta-voz do Exército disse à TV que os palestinos estavam de tocaia esperando para fazer uma emboscada contra uma patrulha militar. O incidente acontece depois de um mês de aumento de tensão ao longo da fronteira, com frequente troca de disparos.

Israel frequentemente responde a ataques contra seus soldados realizando ofensivas aéreas contra o enclave costeiro. Na noite de quarta-feira, dois palestinos foram mortos por disparos na fronteira de Gaza. Israel justificou a ação afirmando que eles tentavam romper o muro de segurança, mas a informação não pôde ser confirmada por fontes independentes.

Morte de inocente

O incidente aconteceu no mesmo dia em que as forças de segurança de Israel admitiram que soldados do país mataram um homem inocente de 65 anos e pai de nove filhos na cidade de Hebron, na Cisjordânia, durante uma operação para prender integrantes do grupo radical islâmico Hamas.

Amr Qawasme, que era vizinho de um dos homens do Hamas procurados pelas forças de Israel, foi morto a tiros nesta sexta-feira, antes do amanhecer, na sua cama, em um quarto localizado no primeiro andar de sua casa.

Em um comunicado, as Forças de Defesa de Israel admitiram que um palestino foi morto na operação e lamentaram o ocorrido, mas afirmaram que a vítima estava "na casa de um dos terroristas". Apesar disso, Israel admitiu que não havia nenhuma indicação de que o homem tinha qualquer ligação com “atividade terrorista” e decidiu abrir uma investigação sobre o caso.

As forças israelenses realizaram outras operações de busca por integrantes do Hamas em Hebron durante o dia, prendendo cinco pessoas.

Prisioneiros soltos

Um porta-voz do Hamas responsabilizou Israel e a Autoridade Nacional Palestina - dominada pelo grupo rival Fatah - pelo incidente. "O crime israelense em Hebron reflete os perigos da continuidade das detenções políticas feitas pelas forças de segurança do Fatah na Cisjordânia, ao dar informações ao ocupante (Israel) para ajudá-lo em suas prisões", disse o porta-voz.

Nessa quinta-feira, o presidente da Autoridade Palestina, Mahmoud Abbas, ordenou a soltura de seis prisioneiros do Hamas que estavam em greve de fome na Cisjordânia. Cinco deles estavam em uma prisão de Hebron, enquanto o outro estava detido em Belém.

Israel ocupa a Cisjordânia desde a Guerra dos Seis Dias, em 1967. A região, onde vivem aproximadamente 2,5 milhões de palestinos, possui mais de cem assentamentos judeus, nos quais moram cerca de 500 mil pessoas.

*Com AFP e BBC

    Leia tudo sobre: oriente médioisraelpalestinosfaixa de gaza

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG