Chirac depõe perante juíza que o acusou de desviar fundos

Paris, 8 jul (EFE) - O ex-presidente francês Jacques Chirac depôs no dia 3 perante a juíza instrutora que o acusou em novembro do ano passado de suposto desvio de fundos públicos enquanto foi prefeito de Paris entre 1977 e 1995, informou hoje a revista Le Point em sua edição digital.

EFE |

Trata-se do caso dos chamados "encarregados de missão" da Prefeitura da capital francesa, que se refere não apenas a quando Chirac era prefeito, mas também ao mandato de seu sucessor no cargo, Jean Tiberi (1995-2001).

O sumário se centra nos supostos empregos de graça ou totalmente fictícios em benefício de personalidades próximas ao partido neogaullista RPR -criado por Chirac e reconvertido em 2002 no partido conservador atualmente no poder, a União por um Movimento Popular (UMP) - e outros, que foram financiados pela Prefeitura.

Segundo a edição digital do "Le Point", o ex-presidente francês disse à juíza instrutora Xavière Simeoni que, como prefeito, assumia "a responsabilidade" da contratação dessas pessoas, mas admitiu que não conhecia alguns dos empregados.

Por isso, Chirac argumentou que "seria injusto responsabilizar os diretores de gabinete que, no marco de suas funções, deviam assinar os contratos", segundo a revista.

O ex-chefe de Estado já tinha prestado depoimento três vezes antes à magistrada na divisão financeira do Palácio de Justiça de Paris.

Em novembro, seis meses após deixar o Palácio do Eliseu, Chirac se transformou no primeiro ex-presidente da República acusado e, imediatamente, proclamou inocência.

Além do ex-presidente francês, cinco ex-diretores de gabinete da Prefeitura também são acusados nesse sumário. EFE ac/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG