Chip de celular ajuda a proteger elefantes no Quênia

Uma organização ambiental do Quênia começou a usar mensagens de texto para tentar proteger elefantes. Um chip de celular (SIM card) é inserido na coleira do animal e envia uma mensagem automática toda vez que o animal chega muito perto de fazendas, permitindo que os guardas florestais impeçam que o elefante entre na propriedade.

BBC Brasil |

Segundo o repórter de meio ambiente da BBC Matt McGrath, elefantes famintos representam um grande problema para pequenos produtores do país.

Dois anos atrás, guardas florestais tiveram de atirar em cinco animais que continuavam a atacar plantações.

'Cerca virtual'
Em uma tentativa de coibir essa medida drástica, a organização ambiental Save the Elephants instalou um chip de celular na coleira de um elefante chamado Kimani.

Para testar o sistema, os ambientalistas instalaram uma cerca virtual usando o sistema de GPS (Global Positioning System). A cada vez que Kimani chegava perto da cerca, uma mensagem de texto era enviada aos guardas florestais.

O animal foi interceptado pelos guardas 15 vezes até agora.

O projeto é caro, e exige que cinco pessoas estejam de prontidão em tempo integral com um veículo à disposição do grupo, mas parece estar funcionando, já que Kimani não se aproximou de uma fazenda há quatro meses.

O sistema está sendo implantado em outra parte do país.

Um dos principais benefícios do projeto é que os elefantes parecem aprender uns com os outros. Seguir e controlar um deles parece fazer com que todo um grupo mude seus hábitos.

Os animais também podem ser rastreados através do software Google Earth.

O projeto está ajudando ainda a prevenir a caça clandestina de elefantes, já que os guardas florestais agora sabem onde concentrar seus recursos para proteger melhor os animais.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG