Equipes de salvamento chinesas comemoraram nesta sexta-feira depois de ouvirem sinais abafados de vida (barulhos de batidas e gritos) vindos de dentro de uma mina de carvão inundada onde 154 trabalhadores estão presos por mais de cinco dias. Imagens da rede de televisão estatal chinesa mostraram equipes de salvamento batendo em canos com ferramentas e depois ouvindo novas batidas como resposta, vindas de dentro da mina.

Eles enviaram canetas e papel, glucose e leite, através dos canos de metal para lugares próximos onde ouviram as batidas.

Cerca de três mil pessoas estão trabalhando sem descanso para retirar a água da mina de Wangjialing, que autoridades do governo afirmam ter inundado no último domingo quando trabalhadores que cavavam um túnel encontraram um velho reservatório cheio de água. Mas especialistas afirmam que pode levar dias para atingir os trabalhadores e a sobrevivência deles depende da existência de ar e água limpa.

"Eles estão fazendo provavelmente a única coisa que eles podem fazer, que é retirar a água o mais rápido possível da mina", afirma David Feickert, um conselheiro de segurança em minas de carvão do governo chinês. Ele disse que algumas minas treinaram mergulhadores para trabalhos como este. Mas ele acredita que, neste caso, a mina está com muita água e não existe certeza de onde as pessoas se encontram.

Esta inundação foi um dos três acidentes em minas de carvão ocorridas na China nesta semana. Uma explosão de gás na província central de Henan matou 19 e deixou 24 trabalhadores presos, e nove pessoas morreram na quinta-feira na província de Shaanxi, no noroeste chinês.

Estima-se que os 153 trabalhadores estejam presos em nove diferentes plataformas na mina, que foram inundadas com até 140 milhões de litros de água, o equivalente a mais de 55 piscinas olímpicas. A equipe de resgate disse que quatro das plataformas não estão totalmente submersas e que o nível de água caiu cerca de 2,6 metros até o meio-dia desta sexta-feira. As informações são da AP.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.