Chineses han atacam mesquita uigur no centro de Urumqi

Urumqi (China), 7 jul (EFE).- Um grupo de chineses da etnia majoritária han tentou hoje entrar à força na mesquita de Hantengri, no centro de Urumqi, a fim de atacar uigures refugiados no local, em mais um episódio da violência étnica vivida nas ruas da capital da região de Xinjiang.

EFE |

A mesquita, próxima ao hotel onde estão hospedados os jornalistas estrangeiros que cobrem o conflito, estava isolada pelos soldados, mas alguns chineses han, armados com paus, tentaram entrar várias vezes no templo, sem sucesso, por enquanto.

Alguns deles disseram à Agência Efe que não há outra saída que fazer justiça com as próprias mãos, já que "o Governo não pode fazer nada contra os uigures, por medo da comunidade internacional".

Segundo eles, os uigures atacaram comércios dos han em dias anteriores e não são oriundos da cidade, mas procedentes de outras zonas da região de Xinjiang, como Kashgar e Yili, que, em anos anteriores, também registraram incidentes violentos.

À margem destes grupos, a cidade está tranquila, sem automóveis pelas ruas, enquanto praticamente todos os uigures estão trancados em casa, por medo de represálias.

A violência étnica começou no domingo, quando os enfrentamentos entre a Polícia e manifestantes uigures deixaram pelo menos 156 mortos, mais de mil feridos e 1,434 mil detidos. EFE mz-abc/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG