Chinesa alterou digitais para entrar no Japão, diz polícia

Uma chinesa presa no Japão, acusada de violar as leis de imigração do país, confessou ter alterado suas impressões digitais cirurgicamente, afirmou a polícia japonesa nesta segunda-feira. De acordo com a imprensa do Japão, Lin Rong, de 27 anos de idade, alterou as digitais dos dedos de suas mãos em uma cirurgia clandestina, o que permitiria que ela entrasse no país com uma identidade falsa.

BBC Brasil |

O Japão costuma checar as impressões digitais de estrangeiros que entram no país para tentar detectar fugitivos ou deportados.

A polícia diz acreditar que, após a operação, Lin entrou no Japão com um passaporte falsificado em dezembro de 2008.

A chinesa já havia sido deportada em 2007 por ter ficado no país ilegalmente.

Lin foi detida em novembro deste ano, acusada de envolvimento em um casamento falso com um japonês de 55 anos de idade.

Ao ser questionada sobre o casamento, os investigadores desconfiaram das cicatrizes de seus dedos.

O Ministério da Justiça japonês afirmou que oito estrangeiros, vindos da China, de Sri Lanka e do Irã, foram presos entre janeiro e outubro deste ano tentando entrar no país com impressões digitais alteradas.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG