Chinês condenado à morte oferece os órgãos em troca de clemência

Homem de 22 anos é acusado de violação e roubo. Caso levanta debate sobre alto número de prisioneiros executados no país

EFE |

Pequim - Um preso chinês condenado à pena de morte ofereceu doar seus órgãos em troca de clemência após ser acusado de violação e roubo, informa nesta quarta-feira o jornal "China Daily". Jiang Benhua, de 22 anos, apresentou a solicitação para doar seus órgãos em junho passado, meses após ser condenado à morte pelo Tribunal Popular Intermédio da cidade de Xian, na província noroeste de Shaanxi.

O caso voltou a abrir o debate na China sobre o elevado número de prisioneiros executados cujos órgãos são utilizados para transplantes. Segundo o "China Daily", 65% dos órgãos para transplantes o ano passado na China procediam de prisioneiros executados.

"Dada a demanda devido em grande parte à falta de doadores de órgãos, não há razão para negar aos presos condenados à morte a possibilidade que doem seus órgãos", disse Li Ning, presidente do Hospital Youan de Pequim. As estatísticas oficiais assinalam que, atualmente, mais de um milhão de chineses estão em lista de espera para um transplante, e só 1% consegue o órgão que necessita.

    Leia tudo sobre: iGchina

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG