China vai distribuir US$ 1,3 bi em dinheiro a pobres

O governo da China anunciou que vai distribuir mais de 9 bilhões de yuans (o equivalente a US$ 1,3 bi) em dinheiro à população às vésperas da comemoração do Ano Novo chinês. O subsídio estatal deve beneficiar mais de 70 milhões de chineses pobres.

BBC Brasil |

Segundo as autoridades, a intenção é melhorar as condições de vida das camadas mais pobres e incentivar o consumo em meio à desaceleração do crescimento.

Moradores pobres de áreas urbanas receberão 150 yuan cada (US$ 22), enquanto residentes rurais receberão 100 yuans (US$ 15).

Chineses que são colaboradores do partido Comunista ou tenham participado da revolução que culminou na vitória de Mo Tse-tung em 1949 receberão 180 yuans (US$ 27).

O anúncio da medida já era aguardado desde dezembro, quando o governo cogitou pela primeira vez a distribuição de dinheiro aos pobres como forma de incentivar a economia.

Antes do Ano Novo
Agora autoridades correm para entregar os benefícios ainda antes do Ano Novo lunar.

O feriadão da virada ocorre no fim de janeiro e é a comemoração mais importante do ano na cultura chinesa, equivalente ao Natal no Brasil.

"Temos que agir rápida e eficientemente para garantir que as pessoas recebam os subsídios antes do Ano Novo", afirmou à imprensa estatal Jiang Li, vice-ministro da Casa Civil.

"Essa tarefa tem a importância de manter a estabilidade (...) e alcançar o objetivo de harmonia social", completou Jiang.

Temendo inquietação social, o governo chinês tem aumentado gradualmente os subsídios à população desde o começo das incertezas causadas pela crise econômica mundial.

Inúmeros economistas no país sugeriram que as autoridades distribuíssem dinheiro à população como forma de incentivar o consumo e assim alavancar a economia.

Classe média
A medida atual, porém, se concentra nos chineses mais necessitados e exclui a emergente classe média.

Famílias com renda anual inferior a 1.067 yuans (US$ 157) estão também se qualificam a receber incentivos dos governos locais.

A província de Jiangsu, por exemplo, começou a distribuir no mês passado subsídios de 100 yuans mensais para famílias humildes cobrirem gastos com remédios e saúde.

Na cidade de Chengdu, em Sichuan, o governo distribui cupons de compras no valor de 100 yuans aos necessitados.

Alem disso, cerca de 150 mil vale-educação, cupons que cobrem gastos com treinamento técnico, estão sendo oferecidos a trabalhadores em busca de aperfeiçoamento profissional na cidade.

    Leia tudo sobre: chinacrise global

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG