China treinará 10 mil pombos para garantir comunicação em caso de guerra

Segundo o diário, talvez se trate do maior 'esquadrão' do mundo, que em tempos de paz será utilizado para chegar a zonas remotas

EFE |

A divisão do Exército de Libertação Popular na Província de Sichuan, na China, treinará 10 mil pombos-correio para garantir a comunicação em caso de guerra ou catástrofe natural, informou nesta sexta-feira o jornal "South China Morning Post".

Segundo o diário, talvez se trate do maior "esquadrão" do mundo, que em tempos de paz será utilizado para chegar a zonas remotas.

A escolha de Sichuan não é casual, já que em 2008 a região sofreu um dos piores terremotos da última década, com quase de 90 mil mortos e desaparecidos e as comunicações cortadas em muitas zonas.

Províncias vizinhas, como Guizhou, Yunnan e a região do Tibete, terão estações para receber mensagens desses pombos.

O primeiro grupo desse tipo de aves para uso militar na China nasceu em 1950 em Yunnan (no sudoeste do país, na fronteira com Laos e Mianmar), para enviar mensagens aos vizinhos países do sudeste da Ásia, embora naquela ocasião os pombos tenham sido importados de Polônia e União Soviética.

Desde então, a capital provincial de Yunnan, Kunming, é o principal centro dedicado ao uso militar de pombos, onde mais de 50 mil dessas aves já foram treinadas.

Os pombos-correio, lembrou o "South China Morning Post", foram utilizados nas duas guerras mundiais do século 20, sendo que na primeira delas calcula-se que 95% das mensagens transmitidas por esse meio chegaram com sucesso a seu destino.

    Leia tudo sobre: chinapombo-correio

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG