Pequim, 24 jul (EFE).- Os estrangeiros que têm lepra poderão viajar à China a partir de 20 de julho, segundo uma nova normativa anunciada hoje e que não diz nada sobre o veto que pesa também contra os doentes mentais, de aids ou tuberculose.

No dia 2 de junho, o Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos de Pequim (Bocog, em inglês) informou que as pessoas que sofressem de lepra, doenças mentais, infecções transmitidas sexualmente ou tuberculose, assim como aqueles que pudessem cometer atentados terroristas, não poderiam entrar na China enquanto durassem os Jogos Olímpicos (de 8 a 24 de agosto).

A diretriz ratificava o veto imposto em 1989 pelo Governo chinês contra cidadãos estrangeiros com lepra, doenças mentais, sexualmente transmissíveis e tuberculose.

"Suspendemos o veto porque o Conselho de Direitos Humanos da ONU aprovou no dia 18 de junho uma resolução para a eliminação da discriminação contra os doentes de lepra", disse um funcionário da Administração de Supervisão da Qualidade, Inspeção e Quarentena à agência oficial "Xinhua".

A fonte assegurou que a nova normativa continuará sendo aplicada depois dos Jogos, mas não especificou se as autoridades chinesas também pretendem suspender os outros vetos. EFE cg/mh

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.